segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

As Incríveis Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy

"As Incríveis Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy", de Filipe Melo e Juan Cavia (Tinta-da-China)

Sinopse:
Imagine que todas aquelas histórias que lhe contavam quando era pequeno... são verdade!
Durante a Segunda Guerra Mundial, todas as criaturas sobrenaturais procuraram refúgio em Portugal.
Vampiros, lobisomens, gárgulas e fantasmas vivem pacificamente, nas sombras, entre os humanos. Porém, no subsolo, o pior de todos os monstros ganha forças e prepara o seu regresso.
Um jovem distribuidor de pizzas, um investigador do oculto, um demónio de seis mil anos e a cabeça de uma gárgula serão os únicos capazes de fazer frente às forças do mal que ameaçam a Humanidade. Desta vez, o destino do Mundo será decidido... em Lisboa!



História/Guião/Adaptação (Filipe Melo e Pablo Parés e Martin Tejada):
Os verdadeiros "geeks" verão neste guião imensas referências, e os que não o são, vê-las-ão na mesma, pois muitas vezes as próprias personagens fazem o favor de as citar.
Juntar um monte de clichés e torná-los coerentes e interessantes, merece elogios. E se lermos isto de espírito aberto e com sentido de humor, acabaremos a adorar a ideia e a sua execução.

Arte (Juan Cavia):
Já não é novidade que gosto de estilos que me surpreendam. Não precisam ser todos bélicos, só têm que ser anatomicamente correctos e de ter originalidade. E o que não faltava ao estilo do Juan Cavia era originalidade. Conseguiu dar um toque pessoal às personagens, embora alguns fossem um pouco parecidas entre si ( o lobisomem e o vampiro, estavam demasiado semelhantes), mas além disso, estava tudo muito bem conseguido.
Ainda assim, o que mais gostei foram mesmo as paisagens. Quando a BD saía à rua ... era de ficar de olhos arregalados. Lindo! Uma Lisboa retratada com arte em cada traço. Até os esgotos estavam interessantes. :D
E embora não tenha sido realmente um problema, tenho de dizer que o que, a meu ver, merecia um pouco mais de trabalho, eram as dinâmicas das perspectivas. Não é que não estivessem boas (porque estavam), mas havia potencial para arriscar mais.

Cor (Santiago Villa):
 Fiquei fã! A sério, as cores davam uma vida aso desenhos, que se estes já eram óptimos por si só, em conjunto ficaram lindos. Neste campo, não vi nada que pudesse ser melhorado pois estava mesmo um trabalho excelente (e ainda estou para perceber como conseguia pintar 2 páginas por dia, conforme dizem no vídeo).

Veredicto final:
Confesso que quando comecei a ler esta BD a achei um acumular de clichés que nada de novo traziam ao género, no entanto, rapidamente percebi que tal era propositado e isso abriu-me os olhos ao que realmente interessava neste álbum.
Mais que tudo, este foi um trabalho de equipa, a cargo de pessoas dedicadas, e isso vê-se em cada página.
Adorei a arte, adorei as cores e desfrutei do guião cheio de referências culturais. Outra coisa que também gostei muito foram os extras (Prefácio, Making of) que foram como a sobremesa no fim do jantar e tornaram a experiência da BD ainda mais interessante.

Visitem o blog oficial AQUI.
Abaixo podem também ver o "Making of" da BD que demorou cerca de 5 anos a ser terminada:

Sem comentários:

Publicar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails