sábado, 25 de julho de 2015

The Raven Boys

"The Raven Boys (The Raven Cycle 1)", de Maggie Stiefvater (ainda não publicado em Portugal)

Maggie Stievfater já não é uma estreante na minha lista de leituras: Shiver, Linger e Forever são três títulos da sua série Wolves of Mercy Falls que já li, e pretendo terminar a série com Sinner, em breve.
Entretanto ouvi falar muito bem desta nova série da autora e decidi pegar-lhe e Bolas!, apanhei uma surpresa e tanto. Pensava eu que a série Wolves of Mercy Falls era sombria e pessimista que chegue mas nada que chegue aos calcanhares da série Raven Cycle. Emo much?
Oh, mas não se deixem deter por isso pois o livro é muito bom!

No início, confesso, tive alguma dificuldade em distinguir duas das personagens: Adam e Nate. Mas foi só no princípio porque rapidamente os dois se tornaram bastante diferentes. E por falar em Nate ... eu estava a contar com aquela reviravolta mas mesmo assim a autora soube usar bem as suas cartas (pun intended). E se não fazem ideia do que falo  porque estou a tentar manter esta opinião livre de Spoilers. Desculpem qualquer coisinha.

Então The Raven Boys começa por apresentar-nos aos quatro rapazes que dão nome ao livro, todos eles frequentadores de uma prestigiada escola para a elite (leia-se podres de ricos). Conhecemos também Blue e a sua fabulosa e estranha família. Ora os rapazes e Blue não podiam ser de meios mais diferentes (tirando um deles que é pobre) mas mesmo assim os seus destinos cruzam-se pouco depois de Blue descobrir que Gansey (o líder da matilha) vai morrer nos próximos doze meses. E como é que ela descobre isto? Ora pois a sua família é constituída de psíquicas que lêem o destino nas cartas por isso nada mais normal. Hem?
A isto sucedem-se uma série de situações, descobrimentos e laços de amizade e inimizade sempre em mudança. Coisa que a autora entrega na hora certa, ao passo certo e o leitor fica agarradinho à história, por mais sombria que ela acabe por ser.

E já que falamos da escrita, posso dizer que a autora realmente me surpreendeu. A prosa de The Raven Boys é muito bela e visual, muito emotiva. Nota-se uma clara evolução e esta só traz riqueza à história.

Falemos agora das personagens e eu aqui tenho de dizer que a forma progressiva como a autora nos vai mostrando as muitas facetas das personagens joga bem a favor da narrativa. O foco neste livro está claramente no Gansey, no Adam e no Noah. Um pouco por causa disso senti que o Ronan foi algo negligenciado embora o seu silêncio fale volumes de si e aquelas cenas com o Raven fossem demais. Mas mais que isso senti que a Blue é a personagem mais básica deste livro. A sua personalidade chega ao leitor como plácida e de alguém que se deixa levar pela corrente. Eu espero sinceramente que isto seja corrigido nos próximos volumes porque comparativamente ao brilhantismo do retrato da sua família, a Blue está bastante unidimensional. Outra personagem que merecia ter tido um pouco mais de desenvolvimento foi o vilão que definitivamente não teve direito a metade do espaço literário que precisava para ser mais interessante ao leitor.

Tirando estes pequenos defeitos, o livro é fabuloso, rico na prosa, contado quase exclusivamente num tom sombrio e misterioso que por vezes ganha cor em fantasias bem vivas. Houve no entanto momentos eu que tudo o que eu pensava era: mas porque é que estas personagens são todas tão Emo? E sim, elas realmente o são, especialmente os rapazes, mas por outro lado toda o imaginário por detrás da história da cidade de Henrietta é fascinante de ler e a verdade é que mal posso esperar para ler o próximo livro a série.


Nota: Esta opinião baseia-se na versão audiolivro narrada por Will Patton.

Sinopse (edição brasileira de "Os Garotos Corvos" pela editora Verus):
Todo ano, na véspera do Dia de São Marcos, Blue Sargent vai com sua mãe clarividente até uma igreja abandonada para ver os espíritos daqueles que vão morrer em breve. Blue nunca consegue vê-los - até este ano, quando um garoto emerge da escuridão e fala diretamente com ela.
Seu nome Gansey, e ela logo descobre que ele é um estudante rico da Academia Aglionby, a escola particular da cidade. Mas Blue se impôs uma regra: ficar longe dos garotos da Aglionby. Conhecidos como garotos corvos, eles só podem significar encrenca.
Gansey tem tudo - dinheiro, boa aparência, amigos leais -, mas deseja muito mais. Ele está em uma missão com outros três garotos corvos: Adam, o aluno pobre que se ressente de toda a riqueza ao seu redor; Ronan, a alma pertubada que varia da raiva ao desespero; e Noah, o observador taciturno, que percebe muitas coisas, mas fala pouco.
"Os garotos corvos é uma narrativa incrivelmente rica e única, um thriller sobrenatural de sabor diferente" - School Library Journal


BookTrailer:

terça-feira, 21 de julho de 2015

Receitas Fantásticas

"", de Ana Ferreira, Carina Portugal, Carlos Silva, Sara Farinha e Mogu-Mogu chan (Fantasy & Co - ebook gratuito)

Li recentemente mais uma antologia de contos do grupo de escritores portugueses: Fantasy & Co. Desta vez a ideia era cada escritor escrever um conto que envolvesse uma receita culinária com ingredientes ou bases fantásticas.
Vamos então falar dos contos um a um:

"Pão do Caminho", de Mogu-Mogu chan
Este é o texto que menos gostei porque não se lê como um conto e não tem nada de especial. O tom engraçado da autora até é divertido mas não é prosa e não se encaixa no resto da antologia. Além do mais em vez de usar algo seu decidiu antes usar uma receita para algo que é muito usado no "Senhor dos Anéis" (J.R.R. Tolkien), o que não demonstra grande imaginação, embora pudesse ter funcionado se fosse apresentado de outra forma mais fantástica.

"Biscoitos da Vida Eterna", de Carina Portugal
A Carina não decepcionou, mais uma vez. Uma receita super-divertida, bem escrita e que dá gosto ler (embora a vontade de a fazer possa não ser grande, visto o trabalho que dá. Ehehehe!)

"Estufado de Miolos", de Ana Ferreira
Uma receita feita à medida dos zombies com o palato mais refinado. Este é mais um conto bem engraçado que poderia ter sido espectacular se não fosse por incluir ali um cérebro de criança que a mim me deu mais nojo e cortou o tom de comédia do resto.

"Túbaros de Troll Estufados", de Sara Farinha
Exactamente o que eu esperaria de uma receita do outro mundo, no entanto falta-lhe algo extra: um flare, um ZING! O texto está bom mas podia ser ainda melhor com alguns ajustes.

"Receita: Bolo de Chocolate", de Carlos Silva
Este fez-me mesmo rir. Uma receita à preguicite, onde a tecnologia de ponta está no centro das atenções e que é uma clara 'homenagem' às Bimbys e afins. E a referência aos supermercados Cascata Doce ... muito bom!

domingo, 5 de julho de 2015

33ª Feira do Livro de Barcelos - divulgação



A 33ª Feira do Livro de Barcelos começou no dia 3 de Julho e vai decorrer até 12 de Julho (domingo).
Os nomes em maior destaque são: Hugo Mujica, Valter Hugo Mãe, Inês Pedrosa, Rita Ferro e Rita Redshoe.

Abaixo fica o programa de actividades cliquem para aumentar):

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Leituras de Abril e Maio 2015

Este vídeo acabou por ficar demasiado longo. Para a próxima tenho de dividir por meses. :) Só espero que não aborreça.



Leituras de Abril e Maio 2015:
- "The Hero of Ages", Brandon Sanderson
- "The Martian", Andy Weir
- "A Cada Dia", David Levithan
- "Xerazade - A Última Noite", Manuela Gonzaga
- "How to Flirt with a Naked Werewolf", Molly Harper
- "Ready Player One", Ernest Cline
- "Universos Literários", Ana Ferreira, Carina Portugal, Carlos Silva, Liliana Novais, Pedro Cipriano, Pedro Pereira e Sara Farinha
- "A Culpa é das Estrelas", John Green
- "Great Expectations", Charles Dickens
Contos:
- "The Eleventh Metal", Brandon Sanderson
BD e Manga:
- "The Walking Dead 17 a 2", Robert Kirkman e Charlie Adlard
- "Rugas", Paco Roca
- "Grimm Fairy Tales 5", Ralph Tedesco
- "Age of Ultron", Brian Michael Bendis
- "Fatale", Ed Brubaker, Sean Phillips
- "Black God 16 a 19", Dall -Young Lim e Sung-Woo Park
- "Koimoku 1", de Dall-Young Lim e Hae-Won Lee

E vocês? Quais foram as vossas melhores leituras dos últimos meses?

Compras Literárias de Abril e Maio 2015

Depois de muito baalhar com o meu portátil, que de há um mês para cá está mais lento que um caracol, lá consegui pôr online o vídeo das comprinhas dos últimos meses.



Compras:
- "Beterraba - a Vida numa Colher", de Miguel Rocha;
- "Sete Minutos depois da Meia-Noite", de Patrick Ness;
- "Black God 15 a 19), de Dall-Youn Lim e Sung-Woo Park;
- "Cress", de Marissa Meyer;
- "Vingadores vs X-Men", de Brian Michael Bendis, Ed Brubaker, Jason Aaaron, Matt Fraction;
- "À Lareira, vol. 2" de José Viale Moutinho;
- "Pássaros sem Asas", de Louis de Bernières.

E vocês? Que livrinhos adquiriram nos últimos meses?

terça-feira, 23 de junho de 2015

Dois contos que conto - divulgação

Título: Dois Contos que Conto
Autor: Tiago Gonçalves
Edição: Março de 2015

Sinopse: Dois contos, um mote, várias vidas. As personagens pouco importam, as histórias ou estórias, como quisermos, essas sim, importam bem mais. Aqui o tempo não é contínuo nem lógico, talvez nem mesmo o espaço ou a vida. Essa é bem menos lógica do que todos esperam.

Sobre o autor (retirado do Viajar pela leitura): Tiago Gonçalves, jovem escritor de 25 anos, nasceu e cresceu no Porto, com horizontes abertos e gosto pela literatura desde a sua infância, crescendo à medida que os anos passavam. Licenciou-se em Sociologia na Faculdade de Letras do Porto, apurando o seu sentido crítico e analítica, pois durante toda a vida procurou aprender, conhecer e pensar, por si próprio. Em Novembro de 2010, lançou o seu primeiro livro, um conto, intitulado "De Uma Só Sorte" e um ano depois, foi publicado o seu segundo livro, a novela intitulado “Não Fomos Nós Dois”.

Para saberem como adquirir o livro vão AQUI.
Visitem o perfil do autor no Goodreads.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

::Conto:: Aos teus olhos

"Aos teus Olhos", de Vitor Frazão (Fantasy & Co - ebook gratuito)

Neste conto o autor introduz-nos a mais um mundo criado de raiz que tem imenso potencial.
Apesar de a narrativa iniciar com um pequeno episódio envolvendo Myr e a sua tia é também aqui que se começa a estabelecer a personagem principal: James Vallen, que será sobre quem o conto realmente se debruçará.
Este primeiro episódio também serve para situar o leitor no mundo e na sua situação social, e está bem conseguido.

De verdade a única coisa errada com este conto é o facto de, em duas ocasiões, o autor debitar informação através de diálogos secos e  forçados, que se vê claramente que foram feitos apenas para servirem como veículo de informação que, a meu ver, poderia ter sido muito mais bem sucedida se entregue de outra forma.
Tirando isso gostei muito do texto e das potencialidades deste mundo e da personagem do James Valllens.

Sinopse:
Carvão alimenta o Império, mas nas ruas de Nova Opida o coração do povo é movido por outro combustível: ódio. Três anos volvidos desde o fim do sangrento e dispendioso conflito a população da Callacia continua incapaz de perdoar os derrotados. Entretanto a tensão acumula…

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails