terça-feira, 1 de julho de 2014

Keeping the Castle

"Keeping the Castle", de Patrice Kindl (ainda não publicado em Portugal)

Sinopse (em Inglês):
Seventeen-year-old Althea is the sole support of her entire family, and she must marry well. But there are few wealthy suitors--or suitors of any kind--in their small Yorkshire town of Lesser Hoo. Then, the young and attractive (and very rich) Lord Boring arrives, and Althea sets her plans in motion. There's only one problem; his friend and business manager Mr. Fredericks keeps getting in the way. And, as it turns out, Fredericks has his own set of plans . . .

Opinião:
Antes de mais, vejam só um pequeno excerto da primeira páginado livro:
“I love you, Althea—you are so beautiful,” murmured the young man into my ear.
Well, I was willing enough. I looked up at him from under my eyelashes. “I love you too,” I confessed. I averted my gaze and added privately, “You are so rich.”
Unfortunately, I apparently said this aloud, if just barely, and his hearing was sharper than one would expect, given his other attributes.”
"I beg your pardon? You love me because I'm rich?"
A sério! Ri-me logo ali. E este tipo de humor continua durante o livro todo, e foi o que mais adorei neste Keeping the Castle.

A história é assim um pouco à Jane Austen, pelo menos é essa a minha percepção, embora ainda não tenha lido nada da mencionada Jane Austen (Eu sei, falhanço!). A época é a mesma, a protagonista é muito independente e depois existem aqueles mal-entendidos entre a protagonista e um certo cavalheiro que, de cavalheiro parece ter pouco.
Ora, o enredo parece básico: Althea é a mais bela rapariga da sua terra e está desesperada por encontrar um marido rico, já que o seu pai morreu, e ela e a mãe mal conseguem sustentar o enrome castelo que querem manter intacto para quando o seu irmão bebé o vier a herdar. Existem ainda duas meias-irmãs que mais parecem tiradas de um clássico Disney, de tão odiosas e mesquinhas que são. Ao menos não temos a madastra!
O mal da Althea, a protagonista, é que não consegue estar calada e acaba sempre por dizer o que não deve.
Ora chega à cidade o jovem Lord Boring que é um autêntico cavalheiro, charmoso, lindo, e rico. Que melhor par para Althea?
O pior é que o dito Lord Boring não vai a lado nenhum sem o seu fiél primo e comerciante nato, Mr. Fredericks, que é das persoangens menos cavalheirescas que já tive oportunidade de ler. E ainda assim, surpreendentemente, das mais bondosas.
E é segundo esta premissa que o livro se gere. Com situações hilariantes, diálogos fabulosos e muitos mal-entendidos.

Neste livro temos várias persoangens interessantes, sendo que a minha favorita é o Mr. Fredericks, seguido de perto pela própria Althea que, apesar de ser muito vã, é também a mais amorosa. Faz tudo pela família! Também gostei da Miss Vincy que acabou por não ser nada do que esperava. E as restantes personagens também estão bem exploradas, embora das irmãs odiosas só a Charity tenha tido mais desenvolvimento.

A escrita da autora fez-me recuar no tempo, pois ela tentou manter-se o mais fiél possível ao estilo da época. Eu tive mesmo de usar várias vezes o dicionário! Há que tempos que não precisava consulatr o dicionário de inglês! Mas fora isso gostei muito. Fez-me sentir mais dentro da história. E, como sempre, a escrita sacrcástica é um mimo.

Em suma, Keeping the Castle é um pequeno livro cuja história é bastante previsível mas que, com uma escrita vibrante, personagens fabulosas, e diálogos de morrer a rir, acaba por ser uma excelente leitura. Recomendo! E gostei mais do que do Goose Chase, da mesma autora.

Sem comentários:

Publicar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails