terça-feira, 30 de janeiro de 2018

A Amiga Genial

“A Amiga Genial (L'amica Geniale 1)”, de Elena Ferrante 

É refrescante ler uma história assim, que se poderia bem ter passado na vida real. Não me levem a mal que eu adoro ler fantasia e ficção científica, e ver a forma como mesmo no meio de algo irreal os humanos são sempre humanos; mas, ocasionalmente, também sabe bem ler algo mais … banal. Ler sobre os conflitos humanos e a terrível verdade da vida corriqueira. E não é que seja uma história fácil, que as vidas destas personagens sejam pêra doce, tanto que poderiam ter sido as vidas de familiares meus, naquele tempo. Esta é a história de Lila e Lénú, duas raparigas que se tornam amigas inseparáveis.
Uma história contada pela Lenú, muitos anos depois, quando Lila desaparece sem deixar rasto.

Lenú é obcecada por Lila, de tal forma que me chegou mesmo a irritar em certos momentos. Mas, bem, isso também faz parte.
Estas duas raparigas nascem e crescem no seio de um bairro de gente remediada, por vezes no limite da pobreza, que mesmo assim, se endivida para ir a um casamento quase no fim do livro (digam lá que isto não vos soa familiar?).
Neste ambiente de pobreza, aquilo a que Lenú, Lila e muitos outros aspiram é a serem ricos. Lenú e Lina são estudantes brilhantes e vêm nisso uma possibilidade de fuga daquele ambiente, mas cedo a vida lhes dá umas quantas bofetadas.
Seguimos a infância e a adolescência destas duas amigas, bem como de algumas outras personagens que as acompanham, embora, confesso,grande parte das vezes não conseguisse distinguir um rapaz do outro ou uma rapariga da outra. À excepção das duas raparigas, dos seus pais e familiares, e uma ou outra pessoa (como o Nico), as outras tinham personalidades demasiado similares e funcionavam mais como um todo do que como indivíduos.

A escrita é lindíssima e é difícil parar de ler, mas por vezes, muito poucas vezes, repetia informação desnecessária (como dizer-nos duas vezes em duas páginas, que determinada personagem era filho deste homem que matou aquele homem e foi parar à cadeia). Questionei várias vezes a escolha de a história ser contada pela voz e experiência da Lenú (que sabia coisas que seriam difíceis, senão mesmo impossíveis, de saber), visto que, embora retrate muita da sua própria vida, foca muito mais atenção na vida de Lila que, apesar de toda a proximidade entre as duas amigas, continua a ser um mistério para o leitor.
E, mesmo depois de terminar de ler, não estou convencida que esta tenha sido a forma mais interessante de contar esta história, embora isso não tira beleza ao texto.

Em suma, não posso deixar de recomendar este romance, pela beleza da sua escrita, pelas duas protagonistas e pela sua história que podia ser a de muitos naquela época, estivessem em Itália ou não.

Sinopse:
"A Amiga Genial" é a história de um encontro entre duas crianças de um bairro popular nos arredores de Nápoles e da sua amizade adolescente.
Elena conhece a sua amiga na primeira classe. Provêm ambas de famílias remediadas. O pai de Elena trabalha como porteiro na câmara municipal, o de Lila Cerullo é sapateiro.
Lila é bravia, sagaz, corajosa nas palavras e nas acções. Tem resposta pronta para tudo e age com uma determinação que a pacata e estudiosa Elena inveja.
Quando a desajeitada Lila se transforma numa adolescente que fascina os rapazes do bairro, Elena continua a procurar nela a sua inspiração.
O percurso de ambas separa-se quando, ao contrário de Lila, Elena continua os estudos liceais e Lila tem de lutar por si e pela sua família no bairro onde vive. Mas a sua amizade prossegue.
"A Amiga Genial" tem o andamento de uma grande narrativa popular, densa, veloz e desconcertante, ligeira e profunda, mostrando os conflitos familiares e amorosos numa sucessão de episódios que os leitores desejariam que nunca acabasse.

Sem comentários:

Publicar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails